Categorias









Artigos » Sociedade

Para que servem certos jornalistas?



Para que servem certos jornalistas?

 
Henrique Monteiro disse aqui há uns dias na tv, que em Roma, enquanto o império desmoronava, os políticos entretinham-se com questões sem qualquer importância, absolutamente alheios à realidade, ao sentir da população. E disse também que o mesmo está a acontecer em Portugal.
 
Mas em Portugal é pior. É que não são apenas os políticos; são também os jornalistas. Quem lê jornais, vê-se de repente entretido com notícias do tipo "Escola José Falcão tinha 25 câmaras de video vigilância, quando só tinha autorização para 10" e depois o rol de consequências previsíveis que vão entreter várias pessoas durante os próximos meses; este crime de "lesa-majestade" que "atenta contra os direitos humanos" há-de merecer a atenção da Comissão Nacional de Protecção de Dados, do Ministério Público e com sorte também do presidente da república, que se há-de manifestar para dizer (através do facebook) que o presidente da república não se manifesta.
 
Se há fome no país, se o desemprego não pára de subir, se em cada 4 crianças uma vive na pobreza, se as pessoas morrem à espera de serem atendidas nos hospitais ou se as Finanças se comportam como uma espécie de Robin dos Bosques ao contrário, isso nada interessa aos jornalistas.
 
Giro mesmo é dar destaque, que o Alfa Bravo 56 disse no Twitter que a utilização de Maddie Ziegler no vídeo da Sia (Elastic Heart) é um atentado ao pudor e outras patetices do género. Ou que a "Cátia Vanessa" no facebook disse "ai que horror, e a mãe da criança onde estava?!!"
 
Isso sim é bonito de relatar num país onde as pessoas ganham 500 euros e nem têm o direito de poder ter acesso aos cuidados mais básicos de saúde (já nem falo no dentista).
 
Par se ver o ridículo disto, atente-se no que disse Ricardo Araújo Pereira: "mas porque é que os jornalistas não relatam o que se passa nos snack-bares?! Nunca se ouviu uma notícia que referisse que o tema tinha incendiado os snack-bares!".
 
Em contrapartida, todas as notícias agora "incendeiam" as redes sociais. Isso é importante para quem? A opinião das redes sociais é mais importante do que as das pessoas que se manifestam nos bares?!
 
Ricardo Araújo Pereira tem uma explicação, provavelmente acertada; é o deslumbramento tecnológico. Poderá ser. Mas para além deste deslumbramento infantil, onde fica então este tipo de  jornalismo? Para que servem certos jornalistas, se se limitam a reproduzir as notícias das agências ou o que a Betinha1989 disse no Twitter?
 
Não deixa de ser curioso que numa época em que o jornalismo tem total liberdade de expressar ideias, de investigar, de escrever, tudo o que tenha para dizer é repetir a opinião da "Kiki" no facebook.
 
E se é certo, registe-se, que esta fotografia não se aplica a todos os jornalistas, isso não impede que se pergunte para que queremos um jornalismo assim.
 
Pedro Castro


Print Friendly and PDF












Fonte:    2015-04-09